Quando começar a fisioterapia após prótese do quadril?

 

A artroplastia de quadril, também conhecida como prótese de quadril, é um  procedimento cirúrgico que substitui a articulação machucada/lesada por uma prótese que se aproxima ao máximo da estrutura óssea original.

Dependendo da gravidade da lesão, o paciente pode ser submetido a uma Artroplastia Total do Quadril (ATQ). Nesse tipo de cirurgia, ocorre a extração total da cabeça do fêmur e do acetábulo. Ambos são substituídos por componentes metálicos, de polietileno ou cerâmica. A fixação da prótese pode ser feita com cimento ósseo ou sem o uso desse componente. Embora os especialistas considerem a artroplastia do quadril uma cirurgia segura, é preciso que o paciente tome algumas precauções para que a recuperação da cirurgia seja completa. Um dos principais cuidados é em relação à fisioterapia, cujo programa deve ser cumprido à risca. Todavia, as pessoas que se submetem a artroplastia do quadril ainda têm muitas dúvidas sobre quando devem começar o tratamento fisioterápico. E sobre isso que falaremos a seguir.

 

Fisioterapia após prótese do quadril

 

Após a operação

Para que o paciente recupere a função do quadril é preciso que as sessões de fisioterapia comecem logo depois da intervenção cirúrgica. Na fase inicial da recuperação, o fisioterapeuta estimula o paciente a ficar sentado e dar alguns passos com o auxílio de muletas ou andador, para não sobrecarregar o membro operado. Esse procedimento deve ser iniciado ainda no hospital.

 

Após receber alta do hospital

Depois de receber alta, o processo de reabilitação do paciente deve continuar a ser supervisionado por um fisioterapeuta. Inicialmente, o profissional usará recursos como laser de baixa intensidade com o objetivo de diminuir a inflamação no local operado. De acordo com a evolução do paciente, o fisioterapeuta dá início a exercícios para ativação de toda musculatura do membro inferior. Esse procedimento é feito com bastante cuidado, pois os tecidos moles ainda se encontram em processo de cicatrização. Dependendo da resposta do paciente ao tratamento, o fisioterapeuta começa a treinar movimentos simples, como sentar, subir e descer escadas. Para realizar o segundo exercício, a pessoa deve subir ou descer um degrau de cada vez usando a perna sadia para subir e a operada para descer.

 

Seis semanas após a operação

As seis primeiras semanas após a colocação da prótese no quadril são muito importantes para a adaptação do paciente. Nesse período da recuperação, o paciente deve evitar cruzar ou flexionar a perna operada. Para que isso não aconteça, a casa da pessoa que se submeteu à artroplastia de quadril deve ser inteiramente adaptada. Tais providências devem começar pela elevação de camas, poltronas, vasos sanitários que, porventura, sejam muito baixos.

Ao longo desse período, conforme o local operado for cicatrizando, o paciente pode voltar a dormir de lado.  Normalmente, após completar um mês da operação. Contudo, é necessário que a pessoa durma com espaçador entre as pernas, como por exemplo, um travesseiro ou almofada.

O paciente também deve respeitar as orientações dadas sobre o quanto ele pode colocar de peso na perna operada ao caminhar. O aumento da carga e o momento de abandonar as muletas dependerá de como o paciente respondeu ao tratamento fisioterapêutico, ou se houve alguma fratura durante a colocação da prótese. Durante esse período, deve ocorrer uma interação contínua entre o ortopedista e o fisioterapeuta.

 

Sétima ou oitava semana de operação

Nesse período, os tecidos musculares e a cápsula de articulação já cicatrizaram integralmente. Portanto o fisioterapeuta intensifica os exercícios de fortalecimento da região. Quando não há mais nenhuma contraindicação, a equipe libera o paciente para ter relações sexuais. Esses profissionais devem orientar o paciente sobre as melhores posições sexuais para quem se submeteu a uma artroplastia do quadril. Além disso, a pessoa é liberada para dirigir se a perna operada for a direta. Caso seja o membro inferior esquerdo, a liberação pode ocorrer antes, dependendo do modelo do carro.

A fisioterapia nessa fase é focada no fortalecimento dos músculos do quadril operado, principalmente na região dos glúteos. O grupo muscular mencionado contribui de forma significativa para a estabilidade da prótese e, por conseguinte, para que o paciente caminhe e faça atividades rotineiras sem qualquer forma de compensação. Os exercícios também já envolvem toda a musculatura dos membros inferiores, caso o lado não operado não tenha restrições de movimento.

Conforme a mobilidade e a força do paciente progredir, o fisioterapeuta deve ensiná-lo a pegar objetos do chão, se vestir e calçar sapatos. Além de executar tais ações, a pessoa realiza treinos de equilíbrio, controle dos movimentos e atividades mais intensas na fisioterapia, como exercícios em cama elástica.

Considerando o período pós-operatório, o paciente deve ter acompanhamento fisioterapêutico por um período de 3 a 4 meses. Desse modo, ele será preparado para retomar a sua rotina diária e esportiva. Quando a artroplastia do quadril e a recuperação são bem feitas, asseguram ao paciente a retomada de vida que ele tinha antes da operação.

A equipe da Reabilite-se preparou um vídeo explicativo que mostra alguns exercícios desenvolvidos pelo fisioterapeuta usados no tratamento:

 

 

O consultório Reabilite-se tem uma equipe de profissionais pronta para atender no tratamento fisioterápico de pacientes que realizaram prótese de quadril. Entre emcontato e agende uma avaliação.

Compartilhar:

Os comentários estão encerrados.