Hérnia de disco… Preciso de cirurgia?

hernia-de-disco

Engana-se quem acha que a cirurgia é a única opção de tratamento para quem tem hérnia de disco. Acompanhe o nosso texto para entender melhor.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a dor nas costas afeta 90% da população mundial ao menos uma vez na vida. Em muitos casos, essa dor pode estar relacionada com uma patologia bem conhecida, a hérnia de disco. Altamente incapacitante, a hérnia de disco é responsável por um grande número de afastamentos do trabalho, sendo considerado um problema de saúde pública mundial.

O disco intervertebral é uma placa cartilaginosa que forma uma almofada entre as vértebras. Após traumatismos (quedas, acidentes ou até mesmo fazer esforço ao levantar), a cartilagem pode ser lesada, comprimindo raízes nervosas e levando ao aparecimento de alguns sintomas tais como: dor, queimação, dormência, formigamento e fraqueza. Pode ocorrer em qualquer local da coluna vertebral, sendo a região lombar a mais acometida.

As diferentes fases da hérnia de disco:

 

fases-hernia-disco

E qual a melhor forma de tratá-la? Devo operar?

Apesar de ser indicada em casos específicos, a cirurgia não é a única alternativa. Segundo especialistas, até 90% dos pacientes obtém sucesso através do tratamento conservador, não sendo necessário submeter-se a intervenção cirúrgica. A recomendação é que o paciente passe por um tratamento fisioterapêutico de qualidade com duração de 4 semanas, no mínimo. Existem diversas formas de atenuar a crise dolorosa, como por exemplo, medicações antiinflamatórias e analgésicas, acupuntura, exercícios de fortalecimento, relaxamento muscular, entre outras.

Como prova do sucesso do tratamento conservador, novas pesquisas têm mostrado a possibilidade de haver a regressão espontânea da hérnia, sem necessidade de cirurgia. Em um destes estudos (revisão sistemática publicada em 2015 pela revista Clinical Rehabilitation), pesquisadores avaliaram 361 casos de hérnia de disco lombar. O percentual de regressão observado foi o seguinte:

– 96% em hérnia sequestrada

– 70% em hérnia extrusa

– 41% em protusão discal

– 13% em degeneração/abaulamento discal

Surpreendentemente, a maior taxa de regressão foi observada nos casos de hérnia seqüestrada, ou seja, quanto pior a situação do disco intervertebral, maior o percentual de regressão espontânea.

Então, se você sofre deste problema, procure sempre um fisioterapeuta capacitado. Marque já sua avaliação!

Compartilhar:

Os comentários estão encerrados.